Linguística Aplicada: Ensino de Línguas e Desafios Contemporâneos

Coordenação:

Prof. Dr. Flávius Almeida dos Anjos (CECULT/UFRB)
Prof. Dra. Kelly Barros Santos (CECULT/UFRB)
Prof. Dra. Cristiane Maria Lopes Landulfo de Sousa (UFBA)

Ementa:

A linguagem humana tem sido foco de estudo por diversos especialistas. Entretanto, numa perspectiva multidisciplinar, alinhada com as questões sociais, é a Linguística Aplicada (LA) que tem lançado luz em problemas que envolvem a linguagem. Desse modo, a LA tem possibilitado a compreensão de diversos cenários (ANJOS, 2017). Moita Lopes (1996) enfatiza que a Linguística Aplicada é uma ciência social, cujo foco são os problemas de linguagem apresentados pelos usuários (ouvintes, falantes, escritores, leitores) de uma língua, num dado contexto social. Esse pesquisador diz ainda que a LA é uma modalidade de pesquisa, que utiliza métodos de investigação interpretativista, de natureza aplicada em ciências sociais, de caráter interdisciplinar. No tocante ao caráter da LA, muitos pesquisadores compartilham da noção de que ela é uma área de investigação inter/trans/multidisciplinar. Nesse sentido é que Cellani (1998) chama a atenção para o fato de que não há dúvidas quanto ao caráter multi/pluri/interdisciplinar da LA e observa que os militantes dessa área sabem que para compreender um fenômeno sempre terão que adentrar outros domínios. O que se verifica é a ascensão de uma área de investigação, cujo foco é a linguagem, voltada para questões de ordens práticas, em que a aproximação do sujeito de pesquisa é condição sine qua non, porque é preciso convidar aqueles que vivem as práticas sociais para opinar, o que é uma dimensão essencial em áreas aplicadas (MOITA LOPES, 2006). Assim, a Linguística Aplicada inaugura uma espécie de novo paradigma social e político no tocante à pesquisa social. E essa área de investigação cresceu e tem tomado uma dimensão relativamente notável, cujas pesquisas, em perspectivas interdisciplinares, têm desvendado questões relacionadas à linguagem, nos mais diversos cenários, que não se restringem especificamente ao ensino e à aprendizagem de línguas. Entretanto, este GT tem como objetivo principal tratar de questões que envolvem a linguagem, mais especificamente sobre o ensino e a aprendizagem de línguas no contexto nacional. A proposta deste GT é promover reflexões com trabalhos que tenham como foco a interculturalidade, as identidades, as atitudes e as crenças de professores e alunos, bem como sobre os fatores logísticos que envolvem o ensino/aprendizagem de línguas, tais como o livro didático, a carga horária, número de alunos por turma etc, os quais podem impedir a consolidação da aprendizagem, e, portanto, representam desafios para os professores. Ao professor, que tem o compromisso com a sua causa, o seu ofício, resta a esperança de que os desafios, postos a ele, sejam superados, ainda que as ações para isso não dependam especificamente dele. Mas ele deve seguir a trajetória, acreditando que ainda pode fazer alguma coisa e não deve fugir do compromisso. Por isso, deve continuar se reformando constantemente, agregando à sua formação o que é novo, visando sempre melhorar a sua prática, e isso também é possível investigando, pesquisando o próprio contexto em que atua, com olhares de outras áreas, convergindo para a interdisciplinaridade. Assim, dentro das propostas de caráter político que este GT pretende elucidar, estão as reflexões sobre materiais didáticos (voltados para o ensino de línguas) que não inviabilizem povos, que não reduzam os personagens a estereótipos, não exponham o aprendiz a textos onde mulheres e grupos minoritários são silenciados bem como aqueles que versem sobre identidades, atitudes e crenças no contexto educativo de línguas. Por isso a Linguística Aplicada tem incluído na sua agenda a compreensão de diversos cenários. Isso tem sido possível, tendo em vista o seu caráter inter/trans/multidisciplinar. Na Linguística Aplicada é possível produzir conhecimento, com base em situações reais, que podem ser explicadas por meio do diálogo e do atravessamento das disciplinas. Atualmente, a Linguística Aplicada tem buscado a consolidação de pesquisas que visam à compreensão da vida social, a partir de práticas com interfaces com as mais diversas áreas. Não sem razão, é que a compreensão do contexto de ensino/aprendizagem de línguas tem sido possibilitada, por exemplo, a partir diálogo com a Psicologia Social, a Análise do Discurso e a Pedagogia Crítica. Assim, com base no diálogo com essas e outras áreas é que esperamos receber propostas que se alinhem com este GT.

Todos os Items

Nada foi publicado nesta categoria ainda.