Corpo e Intermidialidade

Coordenação:

Prof. Dra. Ludmila Martinez Pimentel (UFBA)
Prof. Ma. Dorotea Souza Bastos (CAHL/UFRB)

Ementa:

O Grupo de Trabalho "Corpo e Intermidialidade" é composto por artistas pesquisadores e abriga as produções que envolvam as questões interdisciplinares entre o corpo, as interações midiáticas e as poéticas artísticas, levantando questionamentos sobre o papel e a atuação do corpo, da tecnologia e das linguagens artísticas nesta relação, buscando uma reflexão a respeito das características, formas, presença e apresentação do corpo na experiência com os artefatos criativos.
Este grupo de trabalho visa, assim, promover uma partilha dos saberes em termos de produção científica e artística, com especial interesse na discussão e aprofundamento nos aspectos sobre as novas tecnologias, as novas mídias e os encontros com o campo artístico no qual, atualmente, destacam-se as produções interativas, imersivas e dialógicas em que corpos físicos e intangíveis, numa concentração de vários meios em um mesmo dispositivo ou em ambientes virtuais, traduzem as mudanças nas relações entre as pessoas e as mídias, nos levando a mudanças não apenas de ordem tecnológica, mas também culturais, afetando, inclusive, as noções de concretude, finitude e intangibilidade.
Esse diálogo entre as novas tecnologias e o campo das artes torna-se ainda mais evidente nos fenômenos contemporâneos da cultura, o que tensiona as relações intermídias com os aspectos sociais, políticos, identitários, a partir e através da arte. Tal mudança na forma de lidar com o corpo inaugura o momento em que se supera o papel representativo e de mero processador de informações que lhe foi atribuído desde a década de 1950, com os estudos sobre a cibernética, por exemplo. Não se trata mais de o corpo ser uma máquina que recebe informações, processa e oferece respostas, mas entende-se o corpo como sujeito ativo, participativo e transformador que, em contato com as diversas tecnologias, oferece um ponto de vista que nos leva a um pensamento cada vez mais potente e presente de intermidialidade, em que se percebe o diálogo entre mídias diferentes, uma nova articulação, uma interface que promove uma espécie ampliação do que comumente se chama de mediação entre as duas formas, embaçando fronteiras e eliminando os limites que nos engessam em determinações de categorias para a arte e para o corpo. Esses meios artificiais que se acoplam ao nosso corpo orgânico fazem de nós seres híbridos, que encontram na tecnologia uma tradução de nós mesmos em expressões que facilitam e superam a nossa própria existência, viabilizando novas formas de ser no mundo.
Também importantes para o que propomos neste grupo de trabalho são os estudos relacionados à imagem, em especial a imagem técnica. Entendemos que, em se tratando dos diálogos contemporâneos entre corpo e intermidialidade, a imagem exerce papel nuclear e envolve não apenas uma ordem tecnicista, pois alia o dispositivo ao corpo e à arte. Com a introdução e utilização das imagens digitais, de síntese, as artes passam por um novo processo de modificação, em que as fronteiras, já permeáveis, tornam-se ainda mais obsoletas e desnecessárias, sendo possível inferir que as modificações na arte são as modificações no modo de nos relacionarmos com as imagens.
Nesse processo de hibridização, a presença das diversas tecnologias e do corpo é incorporada na arte de maneira diversa à condição tradicionalmente conhecida, inclusive com a não presença ou com a substituição do corpo físico, orgânico, por um corpo virtual, ampliado, expandido, intangível. Consequentemente, também a experiência estética não será a mesma a partir das relações intermídias, inaugurando uma nova forma de relacionar o corpo às suas possibilidades criativas junto à tecnologia, o que se materializa com os artefatos artísticos e intensifica a relação entre corpo e os processos intermídias.
Partindo dessas inquietações que emergem da prática artística e da pesquisa acadêmica, o Grupo de Trabalho "Corpo e Intermidialidade" receberá propostas de trabalhos que tratem, de forma interdisciplinar, sobre corpo, arte e tecnologia, criando um diálogo entre a pesquisa artística e teórica na dança, no teatro, na música, no cinema, nas artes visuais, em seus campos expandidos e nas mais diversas formas de linguagem e expressão. Também serão aceitas propostas que contemplem a reflexão teórica e historiográfica a respeito das relações intermídias no campo artístico, os aspectos relacionados à experiência estética, poéticas e práticas do/no corpo, bem como os relatos de experiências e processos de criação dentro da temática do GT e os resultados parciais de pesquisas em andamento.

Todos os Items

Nada foi publicado nesta categoria ainda.